Quais exames detectam a infertilidade?

Conheça os métodos mais indicados para investigar a fertilidade da sua família.

Se você está tentando engravidar, saber mais sobre a sua fertilidade é essencial! Investigar as prováveis causas da infertilidade é uma etapa obrigatória antes de qualquer tratamento com as técnicas de reprodução assistida. É a partir dessa análise que conseguimos propor uma opção terapêutica e precisa para o casal.

Com um bom diagnóstico dos fatores masculinos e femininos associados à infertilidade, podemos determinar o tratamento mais efetivo e individualizado para cada casal. Hoje vamos falar sobre os principais métodos utilizados e as diferenças entre eles.

Quais são as causas da infertilidade?

Ter um filho é parte fundamental do planejamento de vida da maioria das famílias, mas para alguns casais essa caminhada pode ser um grande desafio, que resulta na descoberta da impossibilidade de engravidar de forma natural.

As causas de infertilidade podem ter diferentes origens. Conheça as principais:

Para investigar a infertilidade de forma completa, é importante avaliar o potencial fértil do homem e da mulher. E para que esse diagnóstico seja confiável, eficiente e preciso, existem alguns exames que podem ajudar.

Quais exames ajudam na investigação da fertilidade?

Apesar de algumas famílias buscarem suporte especialista depois de alguns meses de tentativa, uma boa sugestão é começar antes mesmo de tentar, para conhecer bem o potencial reprodutivo da sua família e conhecer os melhores caminhos para ter um filho.

Conheça os principais exames realizados hoje:

Histerossalpingografia

Atualmente, a histerossalpingografia por Raios X é o método diagnóstico mais utilizado na prática clínica. Ele consegue avaliar a permeabilidade das trompas e também fornece uma imagem do contorno interno da cavidade uterina. Muitos estudos mostram que esse exame é o mais objetivo, preciso, efetivo e seguro quando comparado aos outros métodos, mas essa percepção vem mudando com o passar do tempo.

Hoje, ele é considerado ultrapassado pelos centros de medicina reprodutiva mais modernos do mundo porque possui algumas desvantagens:

Laparoscopia diagnóstica com cromotubagem

A laparoscopia é considerada o “padrão ouro” para o diagnóstico de obstrução tubária. É uma técnica cirúrgica minimamente invasiva que utiliza uma microcâmera para visualizar a parte interna da cavidade abdominal.

Este método diagnóstico permite a visualização direta da pelve, incluindo as tubas uterinas, ovários e útero e permite diagnosticar e tratar lesões de endometriose e aderências peritubárias.

Contudo, a laparoscopia envolve uma pequena cirurgia, que requer anestesia geral e como qualquer procedimento desse tipo, possui um risco de 0,13% de complicações cirúrgicas. Estudos atuais apontam que assim como a histerossalpingografia, esse método também está desatualizado e não possui mais lugar na avaliação diagnóstica moderna da infertilidade.

Ressonância nuclear magnética

A ressonância costuma ser utilizada junto com a histerossalpingografia para facilitar a avaliação de anormalidades no ducto mülleriano. Com a combinação dos dois exames, é possível observar a cavidade uterina e a superfície uterina externa para uma análise mais completa.

Apesar de ser um ótimo complemento, também possui seus pontos negativos, porque úteros rompidos ou retrovertidos podem prejudicar a precisão do exame e da qualidade da imagem.

A necessidade de dois procedimentos torna a abordagem de alto custo e não acessível. Além disso, também possuem potencial enorme de causar desconforto nas pacientes.

Ultrassonografia

A avaliação ultrassonográfica da mulher infértil geralmente é realizada entre os dias 5 e 11 do ciclo menstrual e revela informações abundantes sobre a anatomia e a morfologia dos órgãos pélvicos.

Hoje é considerado o que existe de mais moderno no campo dos diagnósticos de infertilidade, principalmente por ser um exame único, realizado na própria clínica e pelo próprio médico que acompanha o casal.

A ultrassonografia evoluiu de tal forma que hoje consegue fornecer a grande maioria e muitas vezes, a todas as pacientes, informações necessárias para diagnosticar ou excluir anormalidades anatômicas e funcionais do trato reprodutivo feminino. Tudo isso evitando a radiação dispendiosa e a exposição ao contraste iodado inerentes a outros métodos.

A investigação da fertilidade pode ser mais rápida e assertiva?

A ultrassonografia oferece vantagens únicas para a investigação da pelve feminina em relação às outras modalidades. Com o uso do ultrassom, a maioria das mulheres não precisarão mais passar por vários testes, muitas vezes realizados em locais diferentes, por profissionais diferentes e necessitando de várias visitas.

O conceito de “one-stop-shop” ou “exame de parada única” para a investigação da infertilidade feminina propõe o uso de um exame ultrassonográfico único e abrangente. Agora, a tecnologia permite fornecer uma avaliação da infertilidade minimamente invasiva, confiável, eficiente em termos de tempo despendido no consultório médico e com um custo significativamente menor.

O ultrassom da fertilidade: o melhor e mais moderno exame para investigar a sua fertilidade

Aqui na Perfetto, criamos o ultrassom da fertilidade: um exame único capaz de rastrear com eficiência e segurança as patologias que dificultam a capacidade de engravidar. Com este único exame ultrassonográfico completo, as pacientes podem obter uma avaliação da infertilidade minimamente invasiva, confiável, eficiente, custo-efetiva e sem acréscimo de riscos potencialmente evitáveis.

A grande vantagem deste exame é que além de ser feito pelo próprio médico que está acompanhando a paciente, por ser um exame de parada única, o casal já pode aproveitar a visita à clínica para colher os exames de sangue e para realizar o espermograma no mesmo momento. Assim, é necessário apenas uma hora na vida do casal para que toda a investigação diagnóstica da infertilidade esteja completa.

O Ultrassom da Fertilidade:

Avalia a reserva
ovariana

Rastreia lesões de
endometriose

Avalia a mobilidade dos órgãos pélvicos

Identifica patologias intra-cavitárias (pólipo, mioma, aderências)

Avalia o formato uterino em 3D diagnosticando malformações

Avalia a permeabilidade tubária em tempo real através da tecnologia 4D

Conheça cada uma das 3 etapas:

Primeira etapa

A primeira etapa é um ultrassom transvaginal, o mesmo que a maioria das mulheres já realizou alguma vez na vida, onde combinamos a ultrassonografia 2D e 3D para examinar:

Segunda etapa

Na segunda etapa, através do correto posicionamento de um cateter próprio, realizamos a histerossonografia para avaliar de forma detalhada a cavidade uterina e a presença de lesões intracavitárias como pólipos, leiomiomas submucosos e sinéquias uterinas. Com o uso da tecnologia 3D, conseguimos fazer uma reconstrução perfeita da cavidade uterina como se estivéssemos visualizando o útero de dentro para fora.

Assim, qualquer patologia identificada é mapeada com todas as informações necessárias para direcionar o tratamento cirúrgico por meio de uma ressecção histeroscópica caso seja necessário.

Terceira etapa

Na terceira e última etapa, como nosso cateter já está posicionado corretamente no colo uterino, só trocamos o líquido a ser infundido. Aqui, utilizamos um contraste especializado que nos permite realizar uma construção em tempo real, utilizando a tecnologia 4D, das trompas uterinas, identificando quaisquer anormalidades. Chamamos esta etapa de histerossonossalpingografia.

A grande vantagem é que aqui temos a oportunidade de realizar um exame dinâmico que visualiza não só a passagem do contraste pelas trompas, mas também a mobilidade das mesmas, podendo identificar todo o trajeto tubário, quando a anatomia da paciente está preservada.

Qual é o primeiro passo para investigar a fertilidade?

A avaliação da fertilidade das mulheres é algo que requer abordagens confiáveis, eficientes, diagnosticamente precisas e minimamente invasivas, que priorizam o bem-estar e o conforto de cada paciente.

Muitas vezes, os exames são realizados em locais diferentes, por profissionais diferentes, necessitando de várias visitas. A ultrassonografia evoluiu de tal forma que hoje consegue fornecer as informações necessárias para diagnosticar ou excluir anormalidades anatômicas e funcionais que podem comprometer a fertilidade feminina.

Com o Ultrassom da Fertilidade, a maioria das mulheres não irá mais precisar passar por vários testes para ter o seu diagnóstico. O conceito de one stop shop ou “exame de parada única” para a investigação da infertilidade feminina permite uma avaliação mais confortável, confiável e eficiente, já que o tempo de consultas e idas a Perfetto é significativamente menor, diminuindo também o custo.

Quer avaliar sua fertilidade em um lugar onde o seu bem-estar é prioridade?

Mais Posts

O que causa a infertilidade feminina?

Ter filhos é parte fundamental do planejamento da maioria dos casais. Mas muitas pessoas possuem dificuldades e acabam não conseguindo conceber sem a ajuda médica.